segunda-feira, 8 de março de 2010

CRISE HIPERTENSIVA - COMO SE DESENVOLVE?


A pressão arterial (PA) é igual ao volume de sangue (VS) que sai do coração vezes a resistência periférica que ele encontra ao circualr pelo nosso organismo (PA= VS x RP).O volume de sangue que sai do coração não sofre grandes influências, a não ser em casos especiais de falência do órgão ou excesso de volume sanguíneo circulante, assim a maioria dos casos de hipertensão ocorre por alteração da resistência periférica. O aumento repentino da resistência periférica ocorre pela falta de regulação neurodinâmica dos mecanismos que regulam a pressão arterial.
As situações patológicas que atuam sobre a resistência periférica, podem ter inúmeras origens:
  • neurológicas
  • medicamentosas
  • vasculares
  • drogas
  • secreção excessiva ou inapropriada de hormônios
O QUE SE SENTE?

A crise hipertensiva inicia-se repentinamente e a pessoa pode apresentar:
  • sensação de mal-estar
  • ansiedade e agitação
  • cefaléia severa
  • tontura
  • borramento da visão
  • dor no peito
  • tosse e falta de ar.
A crise é acompanhada de sinais e sintomas em outros órgãos:
  • no rim, surge hematúria, proteinúria e edema
  • no sistema cardiovascular, dor no peito, falta de ar, angina ,arritmia, infarto e edema agudo de pulmão.
  • no sistema nervoso, acidente vascular do tipo isquêmico ou hemorrágico, com convulsões, dificuldades da fala e da movimentação.
  • na visão, borramento, hemorragias e edema de fundo de olho.
POSTADO POR: Maria Albertina Deodato de Brito em 08/03/2010 às 21:58

Referências: www.abcdasaude.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário